Segunda Turma confirma anulação de licença para aterro sanitário de Belo Horizonte

aterro sanitário licença-270Publicado em 12 de abril de 2017 

A Segunda Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve decisão da Justiça de Minas Gerais que anulou a licença para implantação de aterro sanitário da região metropolitana de Belo Horizonte no município de Ribeirão das Neves (MG). A licença havia sido concedida à empresa Sistema de Gerenciamento de Resíduos (SGR), mas sem o cumprimento da legislação estadual, que estabelece raio mínimo de 500 metros de qualquer núcleo residencial.

Ministro do STF determina que DNIT recupere dano ambiental na BR 116

obras de duplicação danos2-270Publicado em 12 de abril de 2017 

Decisão do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, determina que a União repasse ao Estado de São Paulo recursos para a recuperação ambiental de danos causados pelo Departamento Nacional Infraestrutura de Transportes (DNIT) nas obras de duplicação da BR 116 (Rodovia Régis Bittencourt).

Retrocesso em pauta

principio do não retrocesso-270Publicado em 12 de abril de 2017 

Por Priscila Santos Artigas, Advogada no Milaré Advogados*

Pode ser que você ainda não esteja familiarizado com o chamado “princípio do não retrocesso” no Direito Ambiental, mas o tema tem sido cada vez mais recorrente e está na pauta dos grandes debates que tratam da sustentabilidade. Não à toa, a 22ª edição do Congresso Brasileiro de Direito Ambiental, que acontece em São Paulo em junho, abordará o assunto com grande ênfase. Embora seja um tema para reflexão, não há dúvidas de que o jargão “não retrocesso”, ao menos para os mais atentos, está na moda. Até mesmo o notável juiz Sérgio Moro vem lançando mão do termo em diversos meios de comunicação nos últimos dias quando critica algumas iniciativas do legislativo de dificultar o prosseguimento da Operação Lava-Jato.

Casa construída irregularmente na Praia da Galheta (SC) deve ser demolida

praia da galheta - corte - 270Publicado em 24 de março de 2017 

Um veranista que construiu irregularmente uma casa na praia da Galheta, que fica na área de preservação permanente (APP) da Baleia Franca, em Laguna (SC), vai ter que demolir o imóvel e recuperar o ambiente degradado. No último dia 21/2, o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) manteve sentença que condenou o proprietário por ocupar o local sem nenhuma autorização.